Conheça os tipos de plataformas do petróleo

As plataformas de petróleo são conceituadas com on-shore, quando estão localizadas na terra, e off-shore, quando estão no mar. No segundo caso, é necessária uma grande estrutura, tanto para abrigar os funcionários como equipamentos para a extração de petróleo e gás natural.

Dentro dessa modalidade existem 7 tipos de plataformas de petróleo, que diferem de acordo com finalidade e profundidade da perfuração. Conheça cada uma delas:

Plataforma de petróleo fixa: é comumente utilizada na perfuração de poços e produção de petróleo. Ideal para águas rasas de profundidade de até 300 metros. Ela é feita de módulos de aço e seu objetivo são as operações de longa duração.

Plataforma de petróleo autoelevável: é também usada para perfurar poços em águas de pouca profundidade. Composta por uma balsa e três ou mais pernas de tamanhos diferentes que atingem o fundo do mar, a plataforma tem movimento (o que ajuda no seu deslocamento), mas não perde a estabilidade.

Plataforma de petróleo semissubmersível: é uma unidade flutuante utilizada na perfuração de poços e produção de petróleo. Uma de suas principais características é a grande mobilidade, o que facilita e agiliza o deslocamento entre campos. Sua estabilidade é controlada por âncoras, correntes e cabos, agregado a sistemas de posicionamento dinâmico e propulsores localizados no casco da unidade.

FPSO: navio de grande porte que pode produzir, armazenar e transferir petróleo. O óleo é escoado por navios-aliviadores e o gás pelos dutos. Ele fica em locais mais isolados, onde não é viável colocar plataformas fixas. A produção se dá em águas muito profundas.

FPSO Monocoluna: o que difere do FPSO é o seu casco redondo, que garante boa estabilidade, possível também graças a uma abertura na parte central, que permite a entrada de água e minimiza o balanço das ondas. A primeira plataforma desse tipo no mundo é brasileira.

Plataforma de petróleo TLWP: conhecida também como plataforma de pernas atirantadas ou “flutuante quase fixa”, pois flutua mas possui um sistema de ancoragem que a fixa ao fundo do mar. É usada para produzir petróleo e tem grande potencial para ser utilizado no pré-sal.

Navio-sonda: é utilizado exclusivamente na perfuração de poços e atua em águas ultraprofundas de mais de 2.000 metros. A sonda desce até o local da perfuração por uma abertura no casco do navio. Sensores acústicos e propulsores garantem a sua estabilidade, praticamente anulando os efeitos dos ventos e ondas.

 

Fonte: Petrobras

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta